domingo, 19 de abril de 2009

Atol das Rocas: Saiba mais sobre o santuário das aves!

Natal, Fernando de Noronha ... quem nunca ouviu falar destes paraísos tropicais? Muita gente já ouviu falar e até já conhece, mas poucos sabem da importante existência do Atol das Rocas.

Atol: formação de recifes de coral em forma de anel.

Rocas: do espanhol rocha, pedra

Localizado a aproximadamente 267 km a leste nordeste da cidade de Natal – RN e cerca de 145 km a oeste do arquipélago de Fernando de Noronha, o Atol é uma reserva biológica ( área delimitada que abriga espécies animais e vegetais restringindo o acesso apenas a atividades de pesquisa científica e fiscalização). É também a primeira unidade de conservação marinha do Brasil.
Descoberto em 1503 pelo português Gonçalo Coêlho, as duas ilhotas de areia calcária (composta por ossadas trituradas das aves e conchas destroçadas), águas de cor verde esmeralda de deslumbrante transparência ,o atol detém a maior colônia de aves marinha do Brasil, com cerca de 150 mil indivíduos (maior concentração de aves da América do Sul). As ilhas são um verdadeiro berçário para elas, que deixam seus ovos em meio a vegetação rasteira. As tartarugas marinhas também encontram em suas areias um dos principais locais de desova. O Projeto TAMAR( primeiro programa de marcação de tartarugas marinhas no país) foi desenvolvido no Atol em 1981.
O Atol das Rocas é formado por duas ilhas: a ilha principal, que é a I lha do Farol com 2,5 km e a I lha do Cemitério , de proporções semelhantes. Lá se enterravam os náufragos, que naufragavam devido a profusão de recifes encobertos com a maré cheia. Com a maré baixa, os corpos dos navegantes apareciam na praia e eram enterrados (não se sabe por quem).Estas duas ilhas se interligam, possibilitando uma leve e gostosa caminhada... sempre atento para não se assustar com um vôo rasante dos “moradores” da ilha.
A vida no atol: as principais atividades para os moradores são contabilizar novos ninhos, estudar a vegetação, cuidar das aves acidentadas... Não existe geladeira,nem energia elétrica Esqueça banhos demorados de água doce, água na ilha tem estoque calculado para cozinhar e beber, portanto, abuso nem pensar!
Sombra também é difícil de encontrar. Contando com apenas 21 coqueiros da Bahia e dois pés de Casuarina, quem não gosta de sol está literalmente frito. Cuidado também com as roupas, já que as aves não perdoam nem os varais das casas. Tudo é muito rústico, sofisticação e frescuras não combinam com a beleza e simplicidade do local.
Temperatura: Faz calor 365 dias por ano, e raramente chove. Abril, Maio e Junho é o trimestre mais seco, e Dezembro o mês mais chuvoso. Dificilmente faz frio.
Frequentemente você irá se deparar com os inúmeros caranguejos que se exibem na orla, sem se preocupar com a presença do homem. Aliás, nenhuma espécie, seja ela animal ou vegetal, se acanha, vivendo tranquilamente suas vidas sem fazer mal a ninguém.

** Para quem ficou curioso em ver de perto este lugar tão pouco comentado, talvez o que eu vá dizer não irá agradar. É que o Ibama não permite a entrada sem autorização, e turistas não fazem parte dos planos do Atol das Rocas. Portanto, nós que não nascemos biólogos, pesquisadores, cientistas, nem temos uma boa justificativa (que não seja “ah, eu quero conhecer o Atoool”!!!!) ficaremos todos aqui, mordendo os dedos de vontade de ir pra lá ou então sonhando acordados com este refúgio da natureza....


Para saber mais: www.ibama.gov.br e revista Náutica, edição número 140

Por Polyana Ivie Agnello Bocalon

8 comentários:

Carol Reis disse...

Oi Polly,
Adorei seu blog!! Mas vc é profissional mesmo!!..Viaja de profissão!!..I wish!!
Beijão
Carol Reis do All Around.

Anônimo disse...

Excelente post! Era tudo o que eu precisava saber e zanzando pela Internet eu não tinha achado muita coisa. Obrigada!

Polyana Ivie Agnello Bocalon disse...

Que bom, fico feliz!! O que precisar me avise, preciso ainda colocar muitos posts sobre vários destinos que conheci neste tempo em que o blog ficou off...rs Beijossss

Anônimo disse...

PODERIA MA DIZER "QUE TIPO DE ILHA TEM O ATOL DAS ROCAS"

Beatriz N. disse...

Ola Polyana, estou planejando uma viagem para o atol das rocas, gostaria de saber quem faz este passeio, saberia me informar? grata

Lily Kourniatis disse...

Oi Polly, Muito informativo seu blog. Parabéns ! se nao fosse por vc, eu ainda estaria a cegas na web procurando saber como chegar no Atol, embora seja uma pena eh melhor para conservação da fauna. Poderia me indicar algum outro destino parecido, mas que seja permitida a visitacao ? abs. Lily Kourniatis

Polyana Ivie Agnello Bocalon disse...

Olá Beatriz! Na verdade a Unesco incluiu o Atol das Rocas como Patrimônio Natural da Humanidade. Por ser uma área restrita de preservação, o turismo é proibido. é uma reserva biológica marinha e um laboratório de pesquisas. Para chegar até lá, só com autorização especial do Instituto Chico Mendes. Verifique com o Ibama, mas creio que nós, reles mortais não podemos chegar perto desta maravilha... Se souber de alguma novidade, me avise! Beijo grande e obrigada por visitar o Blog. ;)

Polyana Ivie Agnello Bocalon disse...

Olá Lily!! Obrigada pela visita! Na verdade como hoje tenho uma marca de roupas, acabei abandonando meu blog de viagens, tem muuuita coisa pra postar aqui! Ano que vem prometo que vou deixá-los atualizados sobre as ultimas viagens que fiz. Sobre o Atol é uma pena mesmo! =( Mas temos a belíssima opção que é Fernando de Noronha, você já conhece? Bonito também é um aquário natural.. Além das belíssimas Pantanal, nossos Lodges, lindos hotéis na Amazônia, entre outros destinos exóticos como o Araguaia, Lençois Maranhenses, Jericoacoara... Fora do Brasil você encontra nas Ilhas Caribenhas belíssimos destinos, para mergulho, Cozumel é excelente, e trás muita variedade de animais marinhos. Estou à disposição! Grande beijo, Polly